Tem que ter uma ruptura

Laço do passarinheiro


Os vencidos ainda não deixaram os palanques.
Insatisfeitos, tentam a qualquer custo confundir a cabeça do cidadão.
Nos passam a falsa ideia de que o Brasil vive num abismo sem fim.  
Das tribunas, os discursos dos cantochões são endossados pela rede, a grande mídia e seus interesses escusos.
E para endossá-los, querem que a gente acredite que o PT inventou a corrupção no país, dando ênfase aos escândalos do mensalão e da Petrobrás como se fossem cândidos.
Para tirar essa “raça daí”, os mais afoitos exigem “impítiman” da presidenta e, se isso não for possível, intervenção militar.
Mas quando a corrupção é praticada por eles, deve ser tratada de forma diferenciada, nas tribunas, nos tribunais e nas reportagens.
Não falam do governo tucano no Paraná que humilha os professores.
Não falam nos senadores que não assinaram a CPI, proposta por Randolfe Rodrigues, para investigar o HSBC; nem a grande mídia lhe dedica alguns segundos.
Esconderam o trensalão e estão escondendo a Sabesp.
Por isso, não absorva para si um discurso que não lhe pertence, que não interessa ao país; mas aos que detém o poder e usufrui dele para manipular.
É preciso estar atento aos discursos, seja deste ou daquele, compreender os interesses por trás deste ou daquele para não cairmos no laço do passarinheiro.
Para não sermos uma bola de pingue-pongue.
Para não sermos papagaios midiáticos.

Comentários